Nos últimos dois anos, aumentou intensamente a preocupação relacionada à como melhorar o desempenho dos colaboradores e como aumentar a eficiência da gestão. Isto além de ser uma tendência mundial vem de encontro ao fato de que, segundo o índice de competitividade internacional, apresentado nos últimos anos no World Competitiveness Yearbook, elaborado pelo International Institute for Management Development (IMD), o Brasil caiu no ranking e vem perdendo capacidade de sustentar crescimentos produtivos em longo prazo.

Além disso, está sendo um ano de desafios e obstáculos. Por um lado, o mercado em retração e as empresas repensando seus investimentos, cortando custos, por outro, a necessidade de reter os melhores profissionais e aumentar os índices de desempenho individual e coletivo. Diante disto o que fazer? Investir nas pessoas e buscar oportunidades em meio à crise ou esperar e deixar o clima melhorar? Por conta disso, as empresas estão buscando voltar esforços em inovações voltadas ao conhecimento e em ações de desenvolvimento do capital humano como prioridade.

E dentro deste processo, as soluções tecnológicas são fortes aliadas. Mais do que centralizar informações e rotinas, elas devem ser enxergadas como ferramentas que contribuem não só para gerir e racionalizar processos, mas também para retenção de talentos, melhoria da produtividade, redução dos custos administrativos, desde a contratação até o desligamento de um profissional. Definir metas, medir e acompanhar o desempenho de colaboradores, equipes e áreas é outro ponto chave e que faz a diferença, pois oferece transparência ao colaborador, ao gestor, à equipe e à empresa, o que é considerada uma valiosa arma para o efetivo incremento de produtividade.

Posicionam-se ainda à frente as empresas que optam por investir em plataformas capazes de promover a Educação Corporativa, que embora tenham objetivos simples, eles são altamente impactantes. É primordial aumentar o conhecimento e eficiência dos colaboradores, mas é preciso também reduzir custo.  Desta forma, contar com uma solução tecnológica capaz de gerir toda esta cadeia de capacitação e aprimorar os recursos de educação a distância é uma iniciativa inteligente. Centrais de serviços compartilhados e mobilidade também fazem a diferença e estão presentes nas rotinas dos departamentos de RH nos dias de hoje. Para isso, não se deve esquecer de soluções que embutem em seu pacote conceitos de central de serviços compartilhados que permitam a descentralização de processos e o desenvolvimento de indicadores de desempenho destas rotinas da área de RH.

A saída é buscar uma solução completa que faça de maneira inovadora a gestão de toda essa cadeia não só para melhorar a produtividade, como reduzir custos em um ano tão desafiador. Uma intranet SharePoint cumpre bem esse papel.

Muito se fala sobre a adoção de práticas de usabilidade em sites internet, porém, quando as mesmas premissas não são adotadas em portais internos, muitos gestores não entendem o impacto causado na produtividade de sua empresa. Um exemplo claro é pensar que, em uma empresa de 90 funcionários, se cada colaborador desperdiça 2 minutos por dia procurando algum documento, significa que, por mês, é o mesmo que ter 2 semanas 100% improdutivas de uma pessoa. Por isso, reunimos nesse post 15 dicas simples e implementáveis para ajuda-lo a reduzir o desperdício de tempo e recursos em sua empresa:

Menu

Use um menu simples e objetivo para que o menu principal tenha no máximo 2 níveis e deixe os demais níveis nos menus contextualizados.

Home com informações dinâmicas

Monte uma home com informações que sejam constantemente alteradas e com serviços úteis ao usuário, como por exemplo: Noticias, Busca de Ramais, cardápio, etc.

Área para personalização do usuário
Crie na home uma área onde o usuário possa personalizar com as informações que mais acessa.
Padronização de navegação

Padronize a navegação do usuário em seu portal, defina uma estrutura que será utilizada em todo as páginas.

Mantenha sempre a mesma identidade para botões, tabelas, formulários, menus e ícones.

Filtro na busca

Ajude o usuário a encontrar seus documentos ou conteúdos desejados, a utilização de um filtro pode auxiliar muito nesta tarefa

Busca com overview dos documentos

No resultado da busca dê a possibilidade do usuário ter o maior quantidade de informações, fazendo assim que ele encontre o conteúdo desejado. Um overview no documento ou pagina pode ser muito útil nesse momento.

Últimos Documentos alterados

Últimos documentos alterados podem ser exibidos levando em consideração o perfil de cada usuário, mostrando os principais conteúdos para cada interesse.

Integração com sistemas – SSO

Faça com que o usuário tenha acesso a todos os sistemas necessários a partir de sua intranet, solicitando apenas um login.

Cores Claras – Visual Clean

A intranet é  uma ferramenta de trabalho para os colaboradores, e por esse motivo, devem ter um visual limpo e agradável.

Integração com Outlook

Integre seu portal com o Outlook de a possibilidade do usuário acessar seus e-mails, compromissos e tarefas por meio de sua intranet.

Quem é Quem

O recurso “Quem é Quem” é importante para integração dos colaboradores, e  pode ser utilizado para encontrar pessoas e buscar especialistas em determinados assuntos dentro da empresa.

Utilize o recurso de enquete para entender as necessidades e opiniões do usuário referentes ao Portal.
Cores para identificar áreas do site

Utilize cores para identificar as áreas do site, esse recurso pode ajudar o usuário a identificar as informações de forma mais rápida.

Sub-Home

Use sub-homes para agrupar conteúdos de uma área com grande quantidade de informações, como: Recursos Humanos, TI e Noticias

Versionamento de Documentos

Dê a possibilidade dos usuários construírem documentos colaborativamente.

Recursos como controle de versão de documentos, check-in e check-out, criação de perfis de documentos e publicação, podem melhorar o fluxo de informações e trazer produtividade para a equipe.

Com a implantação dessas simples dicas, sua intranet fica muito mais simples e de fácil acesso para seus colaboradores!
Fonte: Conectt

 

A Guerra Fria não foi apenas um momento de grande tensão na História. Se não fosse por ela, quase toda a tecnologia contemporânea não existiria. Por exemplo, uma das primeiras redes de computadores, a ARPANet, foi criada ainda em 1969 pelo Departamento de Defesa dos EUA. Já nos anos 80, era ela que daria origem ao que chamamos hoje de internet.

Entretanto, esse conceito de uma grande rede de aparelhos que usam o mesmo protocolo para se comunicar se expandiu nos últimos anos, dando origem a novas tecnologias. Duas delas ficaram conhecidas por sua alta aplicabilidade empresarial: a intranet e extranet.

Por mais que seus nomes possam causar certa confusão, suas ideias e seus objetivos dentro de um negócio são bem distintos. Vamos conhecer melhor suas definições, diferenças e saber como elas podem ajudar a sua empresa.

Entendendo os modelos

Em poucas palavras, a intranet poderia ser definida como uma “internet exclusiva à empresa”; ou seja, é uma rede na qual participam apenas os computadores do próprio local de trabalho, usando os protocolos e tecnologias da internet para se comunicarem. Cada colaborador tem a sua autenticação pessoal de acesso ao sistema e consegue ver apenas os dados que o administrador permite a ele.

Já a extranet é uma expansão da intranet, ou melhor, um “híbrido de intranet e internet”. Seu conceito reside na possibilidade de pessoas acessarem remotamente todo o conteúdo disponível dentro da intranet. Nesse caso, a preocupação com autenticação de usuários e restrição de acesso é ainda maior.

Comparando intranet e extranet

Já dissemos que esses dois conceitos são bem diferentes: agora é hora de entender em que reside essa desigualdade. Enquanto a intranet mantém o acesso aos seus arquivos restritos aos colaboradores de uma empresas, podendo ser acessada via rede LAN (sigla de Rede de Acesso Local, em inglês) instalada fisicamente na empresa — e, portanto, só pode ser acessada por computadores que estejam naquele espaço — ou por meio de portais em SharePoint que permitem o acesso remoto, mas autenticam os usuários no sistema antes de permitirem que vejam os conteúdos armazenados, a extranet pode ser acessada por qualquer pessoa que seja autorizada pelo administrador da rede e que possua um login e senha.

Conhecendo os benefícios

Ambos os modelos de rede têm grandes benefícios para qualquer tipo de negócio, incluindo alguns em comum. Por conectarem várias pessoas de um mesmo grupo, eles permitem uma comunicação instantânea e melhoram o compartilhamento de dados entre as pessoas que fazem parte ou relacionam-se com a empresa.

Considerando apenas o contexto da intranet, ela é uma verdadeira aliada da colaboração entre os funcionários. Alguns sistemas, como o Yammer conjunto ao SharePoint, até criam uma “rede social corporativa” para melhorar essa interação. Ela ainda pode conter vários outros sistemas que auxiliam no dia a dia da empresa, dentre os quais podemos citar ferramentas para gestão de projetos, um serviço privado de e-mails e suporte a videoconferências.

Já a extranet pode ser muito útil em vários outros cenários. Ela pode ser aberta a parceiros de negócio, fornecedores ou franqueados, por exemplo, para melhorar a comunicação e acelerar certos trâmites entre ambas as partes. Ao mesmo tempo, também pode ser vantajosa na interação com o cliente, aprimorando a relação dele com a empresa — sistemas de internet banking e portais para acesso de contas telefônicas são utilizações bem conhecidas desse modelo.

Intranet e extranet, mesmo que distintas, são conceitos muito úteis para o TI de qualquer negócio!

Caso você tenha interesse em implantar uma intranet em sua empresa, segue alguns passos que precisam ser lembrados para que sua intranet seja um caso de sucesso!

  • Implantação – a implantação da intranet gera um custo para a empresa, pois para que seja feita ou deve ser contratado um profissional que tenha experiência na montagem de páginas para a internet, preferencialmente que já tenha feito intranet de alguma empresa ou a contratação de empresas especializadas no assunto, como a Project Manager, por exemplo.
  • Necessidade – qual a necessidade da sua empresa? O que você gostaria que seus funcionários soubessem? Quais informações reduziriam tempo no cotidiano? Essas e muitas outras questões são essências na montagem de uma intranet, pois precisa saber a real necessidade da empresa. Para isso o ideal seria uma pesquisa com os funcionários e com as áreas, para entender quais são as maiores dúvidas e que poderiam ser facilmente explicadas através da intranet.
  • Linguagem – Nesse ponto já temos quem montará a intranet, o que queremos que esteja contido nela, mas outro ponto importante é a linguagem e forma que ela terá. Devemos lembrar o ramo da empresa, quais cargos existem nela, para que assim seja uma informação entendida por todos. Caso somente a parte administrativa de uma empresa tenha acesso e todos são bons usuários da informática, ela poderá ter uma “cara” e uma linguagem, se nessa mesma empresa existam cargos de produção ou trabalho braçal, que não tenham domínio da informática, ela deverá ter uma forma mais simples tanto na linguagem como na sua apresentação.

Importante também é que a intranet não pode ser uma página que foi feita e esquecida, deve ser atualizada sempre, até para que os funcionários saibam que ao precisarem de algumas informações, é só acessá-la que encontrará lá!

 

Muito se fala sobre a adoção de práticas de usabilidade em sites internet, porém, quando as mesmas premissas não são adotadas em portais internos, muitos gestores não entendem o impacto causado na produtividade de sua empresa. Um exemplo claro é pensar que, em uma empresa de 90 funcionários, se cada colaborador desperdiça 2 minutos por dia procurando algum documento, significa que, por mês, é o mesmo que ter 2 semanas 100% improdutivas de uma pessoa. Por isso, reunimos nesse post 15 dicas simples e implementáveis para ajuda-lo a reduzir o desperdício de tempo e recursos em sua empresa:

Menu
Use um menu simples e objetivo para que o menu principal tenha no máximo 2 níveis e deixe os demais níveis nos menus contextualizados.
Home com informações dinâmicas
Monte uma home com informações que sejam constantemente alteradas e com serviços úteis ao usuário, como por exemplo: Noticias, Busca de Ramais, cardápio, etc.
Área para personalização do usuário
Crie na home uma área onde o usuário possa personalizar com as informações que mais acessa.
Padronização de navegação
Padronize a navegação do usuário em seu portal, defina uma estrutura que será utilizada em todo as páginas.
Mantenha sempre a mesma identidade para botões, tabelas, formulários, menus e ícones.
Filtro na busca
Ajude o usuário a encontrar seus documentos ou conteúdos desejados, a utilização de um filtro pode auxiliar muito nesta tarefa
Busca com overview dos documentos
No resultado da busca dê a possibilidade do usuário ter o maior quantidade de informações, fazendo assim que ele encontre o conteúdo desejado. Um overview no documento ou pagina pode ser muito útil nesse momento.
Últimos Documentos alterados
Últimos documentos alterados podem ser exibidos levando em consideração o perfil de cada usuário, mostrando os principais conteúdos para cada interesse.
Integração com sistemas – SSO
Faça com que o usuário tenha acesso a todos os sistemas necessários a partir de sua intranet, solicitando apenas um login.
Cores Claras – Visual Clean
A intranet é  uma ferramenta de trabalho para os colaboradores, e por esse motivo, devem ter um visual limpo e agradável.
Integração com Outlook
Integre seu portal com o Outlook de a possibilidade do usuário acessar seus e-mails, compromissos e tarefas por meio de sua intranet.
Quem é Quem
O recurso “Quem é Quem” é importante para integração dos colaboradores, e  pode ser utilizado para encontrar pessoas e buscar especialistas em determinados assuntos dentro da empresa.
Utilize o recurso de enquete para entender as necessidades e opiniões do usuário referentes ao Portal.
Cores para identificar áreas do site
Utilize cores para identificar as áreas do site, esse recurso pode ajudar o usuário a identificar as informações de forma mais rápida.
Sub-Home
Use sub-homes para agrupar conteúdos de uma área com grande quantidade de informações, como: Recursos Humanos, TI e Noticias
Versionamento de Documentos
Dê a possibilidade dos usuários construírem documentos colaborativamente.
Recursos como controle de versão de documentos, check-in e check-out, criação de perfis de documentos e publicação, podem melhorar o fluxo de informações e trazer produtividade para a equipe.
Com a implantação dessas simples dicas, sua intranet fica muito mais simples e de fácil acesso para seus colaboradores!
Fonte: Conectt

 

Existem muitos benefícios quando se utiliza o Project Professional num ambiente EPM (Enterprise Project Management), ou seja, numa intranet com servidores Project Server e servidor SharePoint instalados.

Um dos primeiros benefícios é a padronização de cronogramas. Ao utilizar o Project Server é possível configurar modelos de cronogramas corporativos e disponibilizá-los para os usuários da rede que terão as devidas permissões para acessá-los. Dessa forma a reutilização de cronogramas será otimizada e padronizada, poupando o precioso tempo de elaboração de cronograma nas fases iniciais do planejamento.

Isso não vai limitar a sua utilização do Project Professional no modo stand alone, ou seja, desconectado do Project Server. Você terá a liberdade de criar os seus cronogramas e salvá-los em forma de arquivos. Ao abrir o Project Professional você poderá escolher se quer ou não se conectar ao servidor.

Já que estou falando de arquivos, a outra diferença de usar o Project Professional conectado ao Project Server está na maneira de salvar as informações do seu cronograma. Com o Project Server você salva o seu cronograma em banco de dados SQL, sendo muito mais seguro e sofisticado, além de centralizar as informações. Usuários que utilizam somente o Project Professional no modo stand alone tendem a salvar seus cronogramas em diversos diretórios da rede e até mesmo em seus pen drives pessoais, espalhando muito as informações e criando às vezes muitas versões do mesmo arquivo. Seguindo as políticas da Segurança da Informação, é aconselhável que essas informações estejam centralizadas e armazenadas em banco de dados, não em arquivos, principalmente se contiverem dados confidencias nos cronogramas.

Outra vantagem, já supracitada brevemente, é a questão da segurança e acesso às informações dos cronogramas. Usando o Project Server integrado com o AD do Windows Server somente os usuários da rede poderão ter acesso aos cronogramas corporativos. Além disso, na administração do Project Server existem perfis de usuários diferentes como gerentes de projetos, integrantes da equipe do projeto, gerentes de portfólio, etc, com suas respectivas permissões e acessos diferenciados aos cronogramas corporativos.

O servidor SharePoint agrega muitas funcionalidades interessantes ao Project Professional e ao Project Server. Por exemplo, é possível associar às atividades dos cronogramas Documentos, Riscos e Questões. Estes recursos estarão disponíveis nos sites dos projetos. Isso mesmo! Cada projeto pode ter o seu site!

Associando documentos às atividades dos cronogramas, planejadores e integrantes das equipes dos projetos podem agregar maiores informações como o próprio resultado da execução de suas tarefas. Por exemplo, imagine que uma tarefa seja “Elaborar um relatório financeiro”. Após elaborar este relatório o recurso alocado na tarefa pode anexar o próprio documento à respectiva tarefa do cronograma para ser validado pelo gerente do projeto, passando por um workflow de aprovação e avisos via e-mail. Este documento também estará à disposição da equipe do projeto no site do projeto, promovendo um ambiente de colaboração, onde as pessoas poderão visualizar e/ou alterar este documento, de acordo com as permissões previamente configuradas.

Outro recurso interessante é a inserção de Questões às atividades dos cronogramas. Uma Questão normalmente é um ponto de atenção ou orientações específicas que devem ser levados em conta antes, durante ou após a execução da tarefa pelo executante. Isso fica registrado no site do projeto, bem como associado à atividade do cronograma, e possui inclusive um status do tipo “aberto” ou “resolvido”.

Somando a estes benefícios o servidor SharePoint agrega também Riscos às atividades dos cronogramas. Inconscientemente, ou por falta de uma ferramenta específica para registrar os riscos, no momento de executar as atividades eles são identificados a priori na mente do executante, e geralmente não são compartilhados com outras pessoas devido a dinâmica dos trabalhos ou a falta de uma metodologia de gestão de riscos. Com essa funcionalidade do servidor SharePoint, as empresas agora podem sugerir aos executantes que identifiquem os riscos em tempo de voo ou na fase de elaboração dos cronogramas a preencherem os formulários de riscos associados às atividades dos cronogramas, detalhando os riscos, suas severidades e formas de mitigações e disponibilizando-os no site do projeto para todos os integrantes da equipe e partes interessadas terem acesso, aumentando a visibilidade e colaboração de todos.

Os fóruns de discussões do SharePoint também agregam funcionalidades de colaboração. Com eles os integrantes da equipe do projeto e partes interessadas podem fomentar discussões técnicas nos sites dos projetos, onde cada um poderá opinar e chegar num consenso. Discussões de projetos do passado podem servir de premissas, questões, ou riscos para projetos atuais e futuros.

A vantagem maior de tudo isso é que todos estes novos recursos agregados aos cronogramas dos projetos estão sendo armazenados em banco de dados e poderão ser consultados ara projetos futuros. Dessa forma a empresa pode aproveitar das lições aprendidas e fazer uma gestão do conhecimento de maneira bem prática.

É claro que não caberia num artigo apresentar todos os benefícios da utilização do Project Professional com o Project Server e o SharePoint, mas isso fica para um próximo artigo!

Fonte: INFOChoice

Neste artigo a minha missão é fazer um overview “apenas teórico” sobre os novos recursos e funcionalidades do Universo SharePoint, para ser mais específico em suas releases do SharePoint Server 2013 e SharePoint Foundation 2013.

O objetivo deste artigo é apenas descrever melhorias e novas funcionalidades que foram incorporadas a Plataforma SharePoint (daqui em diante, chamada apenas de SP), para em breve, escrever artigos mais práticos e menos teórico, abordando cada um destes recursos. Vamos lá:

logo_SP2013_artigo

Observação: Este artigo foi baseado no SDK do SharePoint 2013.

1. Modelo Cloud App

Ganhamos um novo modelo baseado em Cloud Computing!!!!

O mundo Cloud Computing ainda é um paradigma a ser quebrado nas empresas, mas ele vem se consolidando cada vez mais no mercado, no SP2013 já podemos criar aplicativos de forma rápida e fácil baseada neste modelo.

Como as Apps para SharePoint são peças independentes de funcionalidade que estendem as capacidades de um site SharePoint. Isto significa que as Apps NÃO têm código personalizado que é executado nos servidores do SharePoint. Em vez disso, toda a lógica personalizada move “up” para a nuvem ou “para baixo” para computadores cliente.

E tem mais, ganhamos também no SP 2013, um modelo inovador para a entrega de aplicativos para SP que incluem componentes como SharePoint Store e App Catalog.

2. Modelo de programação familiar usando WebStandard

Sim, nosso modelo de programação familiar também evoluiu!!!!

O SP 2013 veio facilitar ainda mais a vida de nós desenvolvedores web, não deixando de fora inclusive aqueles que trabalham em plataformas não Microsoft, para criar soluções SP. O que torna isso possível é que o SP 2013 é baseado em padrões da web comuns como HTML, CSS e JavaScript. Além disso, a implementação se baseia em protocolos estabelecidos, como o protocolo Open Data (OData), e OAuth.

3. Ferramentas de desenvolvimento

Um bom App SharePoint começa por boas ferramentas!!!!

Nesta área, também ganhamos bastante com a evolução na Otimização das ferramentas de desenvolvimento, como:

  • Visual Studio
  • SharePoint Designer
  • Office 365 “Napa”

O Visual Studio, por exemplo, agora possui um novo sistema unificado de projeto. Isto nos permite desenvolver Apps SP :

  • Apps para escritório
  • Apps para SP que incluem aplicativos do Office
  • Apps do Office que estão hospedados pelo SP

Além dos modelos de projetos do SP fornecidos em versões anteriores, o Visual Studio 2012 adicionou um novo modelo de projeto de aplicativos no Android chamada Apps para o SharePoint 2013.

Muitas novas propriedades foram adicionadas à janela Propriedades e páginas propriedades para oferecer suporte à APP para projetos SP.

Outras melhorias incluem suporte completo contra:
• App Cloud model, incluindo OData e suporte OAuth.
• Plataforma de Workflow Client Manager 1.0.

No “Napa” agora estamos livres desta ferramentas de desenvolvimento para desenvolvimento de Apps.

4. Melhorias plataforma central

Sim, agora temos uma plataforma CORE bastante melhorada e aprimorada!!!!

Nesta nova versão o CORE foi amplamente melhorado para suportar a nova arquitetura baseada em Cloud e a estrutura de desenvolvimento orientada para a App.

A partir das APIs do SP no nível mais baixo de conectividade para integração de mídia social, o SP2013 é concebido e executado para apoiar uma rica experiência de desenvolvimento de aplicações.

  • Uso de Representational State Transfer (REST) para serviços web,
  • Nova e ampla API para ambos servidor e cliente desenvolvimento.
  • Receptores de eventos remotos (agora suportado)
  • Renderização do lado do cliente.

5. Mobilidade

Ganhamos também novos recursos em Mobilidade!!!!

Crie aplicações poderosas que estendem a funcionalidade para além do tradicional desktop/laptop em um ambiente verdadeiramente portátil e bem mais acessível.

Os novos recursos foram construídos em ferramentas e tecnologias já existentes da Microsoft, como o SharePoint, o Windows Phone 7, o Visual Studio e o Silverlight.

Agora no SP2013, combine aplicações do Windows Phone 7 com serviços locais e apps SharePoint, ou com serviços remotos do SP e apps que são executados na nuvem (como aqueles que usam SharePoint Online).

Crie aplicações móveis movidos a SharePoint para Windows Phone usando o novo modelo de Wizard de App de telefone SharePoint do Visual Studio, isto permite criar aplicações móveis baseadas em listas simples.

Integre novos recursos embutidos no SP 2013, como o tipo de campo Geolocation e notificações “push” do SharePoint Server, em nossos apps móveis.

6. Social e Colaboração

Mantenha nossos usuários se comunicando, engajado e informado!!!!

Neste campo também tivemos melhorias e aprimoramentos:

  • Meu Site social feed teve uma melhoria que ajuda nossos usuários a manter-se atualizado com as pessoas e o conteúdo que eles se preocupam.
  • O Site comunitário é um novo recurso que provê uma boa experiência para a comunidade que permite aos nossos usuários localizar facilmente e compartilhar informações e encontrar pessoas que têm interesses semelhantes.

7. Busca

Ganhamos um Search melhorado!!!!

Este recurso agora possui diversas melhorias:

  • Processamento de conteúdo personalizado com o serviço web enriquecimento de conteúdo.
  • Um novo quadro para a apresentação de tipos de resultados de pesquisa
  • A (KQL) linguagem de consulta palavra-chave também teve melhorias significativas.

8. WorkFlows

WorkFlows mais poderosos e flexíveis!!!!

Workflow Manager Client 1.0 é uma infraestrutura de workflow redesenhada que é construído sobre o Windows Workflow Foundation 4.

Talvez o mais importante, Workflow Client Manager 1.0 é totalmente integrado com o modelo de aplicativos para SharePoint.

Um ambiente de criação totalmente declarativa que permite aos usuários utilizar o SharePoint Designer 2013 para criar workflow poderosos.

No Visual Studio 2012 temos um novo conjunto de templates de projeto WF que nos permite acessar recursos mais sofisticados, como Custom Actions.

Além disso, os fluxos de trabalho são executados na nuvem, não no SharePoint, que fornece uma enorme flexibilidade em projetar aplicativos baseados em fluxo de trabalho para SharePoint.

9. Enterprise Content Management

Ganhamos um ECM melhorado!!!!

No SP 2013, agora podemos utilizar:

  • .NET client
  • Silverlight
  • Windows Phone
  • APIs JavaScript
  • Set of .NET server managed APIs (para personalizar(ECM) experiências e comportamento.

10. BCS Serviços Corporativos de Conectividade

Ufa!!!! Ganhamos também um BCS melhorado e aprimorado!!!!

Serviços de Conectividade (BCS) permite que o SharePoint para acessar os dados a partir de sistemas de dados externos, tais como SAP,ERP, CRM e, além de outras aplicações orientadas a dados que são expostos por meio de serviços WCF ou OData endpoints.

  • OData connectivity
  • External events
  • External data in apps
  • Filtering e Sorting
  • Suporte REST
  • Etc…

11. Serviços de aplicativos

Finalmente, muitos Services foram incorporados e melhorados na Plataforma!!!!

O SharePoint Server 2013 inclui vários serviços para trabalhar com dados em sites SP.

O Excel Services foi melhorado.

O SharePoint Server 2013 também inclui Access Services e um novo modelo de acesso a dados.

O Machine Translation Service, um novo serviço que realiza o serviço de tradução automática, traduzindo sites, documentos e streams para suporte multilíngue.

Para a conversão de arquivos e streams para outros formatos, o SharePoint Server 2013 tem o Word Automation Services e PowerPoint Automation Services do PowerPoint (um novo recurso para SP).

SharePoint também fornece ferramentas de análise de dados, como o PerformancePoint Services e do Visio Services, que permitem inteligência de negócios (BI).

Fonte: TI Especialistas

Nos últimos dois anos, aumentou intensamente a preocupação relacionada à como melhorar o desempenho dos colaboradores e como aumentar a eficiência da gestão. Isto além de ser uma tendência mundial vem de encontro ao fato de que, segundo o índice de competitividade internacional, apresentado nos últimos anos no World Competitiveness Yearbook, elaborado pelo International Institute for Management Development (IMD), o Brasil caiu no ranking e vem perdendo capacidade de sustentar crescimentos produtivos em longo prazo.

Além disso, 2015 está sendo um ano de desafios e obstáculos. Por um lado, o mercado em retração e as empresas repensando seus investimentos, cortando custos, por outro, a necessidade de reter os melhores profissionais e aumentar os índices de desempenho individual e coletivo. Diante disto o que fazer? Investir nas pessoas e buscar oportunidades em meio à crise ou esperar e deixar o clima melhorar? Por conta disso, as empresas estão buscando voltar esforços em inovações voltadas ao conhecimento e em ações de desenvolvimento do capital humano como prioridade.

E dentro deste processo, as soluções tecnológicas são fortes aliadas. Mais do que centralizar informações e rotinas, elas devem ser enxergadas como ferramentas que contribuem não só para gerir e racionalizar processos, mas também para retenção de talentos, melhoria da produtividade, redução dos custos administrativos, desde a contratação até o desligamento de um profissional. Definir metas, medir e acompanhar o desempenho de colaboradores, equipes e áreas é outro ponto chave e que faz a diferença, pois oferece transparência ao colaborador, ao gestor, à equipe e à empresa, o que é considerada uma valiosa arma para o efetivo incremento de produtividade.

Posicionam-se ainda à frente as empresas que optam por investir em plataformas capazes de promover a Educação Corporativa, que embora tenham objetivos simples, eles são altamente impactantes. É primordial aumentar o conhecimento e eficiência dos colaboradores, mas é preciso também reduzir custo.  Desta forma, contar com uma solução tecnológica capaz de gerir toda esta cadeia de capacitação e aprimorar os recursos de educação a distância é uma iniciativa inteligente, especialmente em um cenário como o de 2015. Centrais de serviços compartilhados e mobilidade também fazem a diferença e estão presentes nas rotinas dos departamentos de RH nos dias de hoje. Para isso, não se deve esquecer de soluções que embutem em seu pacote conceitos de central de serviços compartilhados que permitam a descentralização de processos e o desenvolvimento de indicadores de desempenho destas rotinas da área de RH.

A saída é buscar uma solução completa que faça de maneira inovadora a gestão de toda essa cadeia não só para melhorar a produtividade, como reduzir custos em um ano tão desafiador, como 2015.

 

Fonte: TI Especialistas

Enquanto você está lendo este artigo, sua empresa está perdendo dinheiro e de uma forma que você não consegue medir e nem mesmo perceber.

Foi isso que estudos realizados no Reino Unido no final de 2013 apresentaram. Além disso, confirmaram outros estudos realizados anos antes nos Estados Unidos.

A pesquisa recente realizada pelo EDM Group do Reino Unido chegou a esta assustadora conclusão:

62% dos colaboradores perdem entre 1 e 2 horas por semana procurando por informações ou documentos perdidos.

E a situação tende a piorar, conforme levantou esta pesquisa, que identificou ainda que:

  • 56% das pessoas dizem receber hoje no trabalho muito mais informações do que recebiam há 3 anos;
  • 18% avaliaram que este crescimento foi superior a 50%.

Spencer Wyer, CTO do EDM Group, argumenta : “as várias formas que os clientes tem de entrar em contato com as empresas causam, para os colaboradores, uma invasão de informações. Isso não só terá um impacto negativo no serviço aos clientes, mas espera-se que cada vez mais as empresas possam ser multadas por atuarem fora das regras de compliance“.

Mais de 50% dos executivos entrevistados acreditam que haverá multas maiores e mais frequentes, por conta da má gestão da informação em seus setores. Apenas 3% acha que essa multas cairão.

Ainda segundo Spencer Wyer: “A resposta a este problema é digitalizar mais informações nas organizações, o que torna mais fácil encontrar e compartilhar estes conteúdos, reduzindo os riscos de perda ou dano“.

O estudo americano anterior levantou ainda outras questões:

35% a 50% das informações das empresas não está centralizada ou indexada.

Elas estão espalhadas por diversos bancos de dados, computadores pessoais ou pastas de rede pessoais;

​Foram levantadas também algumas consequências por esta falta de centralização:

  • Decisões ruins tomadas com base em informações pobres ou faltantes;
  • Esforços duplicados. Mais de uma área atua em um mesmo problema, sem saber que outra área já fez isso;
  • Perda em vendas, pois os clientes não encontram as informações que precisam, desistindo por frustração;
  • Baixa produtividade, pois colaboradores não encontram informações na Intranet e tem de buscar informações com outros colegas. (Segundo a Ford, colaboradores perdem entre 15 a 25% fazendo isso)

Na época a pesquisa americana apresentou dados de que:

  • 30% do tempo produtivo dos colaboradores era gasto refazendo trabalhos relacionados à informação;
  • 60% do tempo produtivo era gasto em procura e comunicação a respeito da informação;
  • Somente 10% do tempo era investido no desenvolvimento de informações novas.

Se levarmos em consideração os percentuais indicados na pesquisa do EDM Group, fica razoavelmente simples calcular o quanto a sua empresa está perdendo com isso.

Consideremos inicialmente que dentro das empresas, as pessoas responsáveis por desenvolver e divulgar informações não são pessoas com pouca experiência. Sendo bastante conservadores, consideremos para este grupo de pessoas um custo mensal bruto (com despesas, encargos e tudo mais) na faixa de R$15 mil.

Chegaríamos a um valor por hora (160 horas no mês) de aproximadamente R$94,00/hora. Se de fato, conforme o estudo, os colaboradores perdem em média 1,5 horas por semana procurando informações de documentos perdidos, a perda deste indivíduo seria na ordem de R$141,00 por semana, ou R$564,00 por mês (considerando 1 mês = 4 semanas).

Ao final de 12 meses, por conta de um único colaborador, sua empresa teria perdido R$6.768,00.

Assustador, não?

Então agora, multiplique este valor pelo total de funcionários da sua empresa ou da sua área, que estão atuando com isso e veja o quanto sua empresa está perdendo. Se considerarmos uma equipe pequena, com 15 pessoas, as perdas passarão de R$100mil reais por ano.

Se você considerar estas questões ao calcular o retorno de investimentos em projetos de Intranet, colaboração, gestão de conteúdos ou gestão da informação corporativa, vai chegar à mesma conclusão que nós:

Um projeto de Intranet com recursos de colaboração, na maioria absoluta dos casos, se paga no primeiro ano.

Mas como resolver estas questões no ambiente corporativo:

  • Desenvolva uma Intranet que possa ser facilmente entendida por todos como o centro das informações;
  • Estimule sua equipe a depositar ali todos os documentos compartilhados, e não mais na rede;
  • Crie na Intranet mecanismos para as pessoas trocarem informações e debaterem assuntos;
  • Ofereça meios na Intranet para a gestão e acompanhamento de projetos;
  • Faça da Intranet​ o único ponto de troca de informações dentro da empresa;
  • Ofereça em sua Intranet mecanismos de busca por palavra-chave sobre todo o conteúdo ali armazenado;

Abaixo​, oferecemos alguns recursos para você saber como começar:

  • Intranets corporativas
  • Recursos sociais ou rede social corporativa;
  • Gerenciamento de processos;
  • Gerenciamento de conteúdo;
  • Gerenciamento de conteúdo corporativo com busca por palavras chave.

As soluções de Intranet que trabalhamos são baseadas na plataforma SharePoint da Microsoft. O SharePoint é uma plataforma que possui inúmeros recursos de gestão da informação, gestão de documentos, conteúdos e de colaboração. Possui ainda uma poderosa ferramenta de busca por palavras chave.

 

Fonte: A Tecnologia nos Move

 

Administrar projetos é uma tarefa rotineira, mas que tem grande impacto sobre o desempenho dos negócios. É por meio desses processos de gerenciamento que as organizações podem garantir a visibilidade e o controle sobre o trabalho, maximizar a utilização dos recursos, aprimorar a tomada de decisão e, em última instância, assegurar que a estratégia da empresa está sendo cumprida.

Qualquer que seja o tamanho, os projetos geralmente exigem conhecimento e recursos de diversas equipes em diferentes departamentos ou mesmo escritórios regionais. Além disso, a Internet e as redes sociais, mais recentemente, levaram as organizações a trabalharem de uma nova forma. Nesse cenário, para que os projetos sejam bem sucedidos, precisam contar com ferramentas eficazes de colaboração e comunicação.

Para dar conta do novo modo colaborativo de trabalhar, as ferramentas de gerenciamento de projetos evoluíram de um conceito inicial baseado em servidores compartilhados para a sofisticação de soluções como o Microsoft Project Server 2010, uma das principais ferramentas de gerenciamento de projetos da Microsoft, foi desenvolvido sobre o SharePoint Server 2010 e combina avançados serviços de gestão e colaboração.

img_visio_2010

A partir da integração dessas tecnologias, as empresas usuárias do Project Server 2010 podem centralizar a iniciação dos projetos e alinhá-los com a estratégia de negócios. Entre os benefícios obtidos com esse enfoque, estão:

– Seleciona projetos que se alinhem aos objetivos estratégicos, de acordo com a variação das restrições orçamentárias;

– Ajusta as agendas dos projetos para maximizar a utilização dos recursos;

– Padroniza a coleta de dados e o desenvolvimento de casos de negócio;

– Captura todo o trabalho (projeto e não projeto) em um repositório central;

– Estabelece e impõe controles de governança;

– Atribui responsáveis por aprovações aos principais pontos de verificação.

– Um único servidor com recursos completos de PPM (Project and Portfolio Management), projetado para capturar, selecionar e entregar projetos.

A Microsoft recebeu a mais alta classificação no Gartner Project and Portfolio Applications MarketScope para o Project Server 2010. Esse relatório é uma evolução do Gartner Magic Quadrant 2010 para Gerenciamento de Projetos e Portfolio de TI. Especificamente, a Microsoft recebeu a classificação “Strong Positive”.

Fonte: Gespro