RH em projetos: Como criar uma cultura forte através dos influenciadores

rh-projetos-cultura-influenciadores2

Um do maiores desafios durante um projeto é gerenciar as expectativas das pessoas envolvidas e conseguir criar um cultura razoavelmente homogênea no sentido de evitar perda de energia com conversas de corredor, desentendimentos, brigas e etc.

Quando se trata de grandes projetos, que envolvem consórcios e diferentes empresas, existem as imensas diferenças culturais que rapidamente se refletem em conflitos na prática cotidiana do trabalho.  Quando o projeto é interno, dentro de uma só empresa, a mudança de rotina e a necessidade de colaboração interdepartamental também costumam gerar atritos.

Este artigo tem o objetivo de apresentar um método simples, mas muito eficaz, para gerar sinergia e evitar os conflitos que tanto atrapalham a produtividade.

Influência

Pense rápido e responda: Qual a melhor forma de influenciar o comportamento das pessoas?

A resposta é simples: Exemplo. Óbvio não é? Mas vou mais fundo e digo que não é qualquer exemplo, ou melhor, que não é o exemplo de qualquer um. É o exemplo de quem é mais influente no grupo.

Em quaisquer situações sociais, seja na natureza selvagem ou no mundo civilizado, existem aqueles que tem maior poder de influência sobre os outros.  Numa matilha sempre existe um líder, numa alcateia a mesma coisa, e se você assistir ao Animal Planet vai exemplos de vários grupos de animais evidenciando isto que estou dizendo.

No mundo das empresas a lógica é a mesma. Alguns indivíduos tem muito mais influência sobre o grupo do que os demais. Se no mundo selvagem o que determina esta influência é em geral a força, no mundo empresarial ela é resultado de uma mistura de habilidades de diálogo com aquilo que chamamos de carisma.

É exatamente nestes sujeitos, mais influentes e carismáticos, que reside a chave do método.

Identifique, influencie, e deixe se espalhar

A famosa regra de Pareto, de que 80 por cento dos resultados são decorrentes de 20 por cento de nosso esforço, parece se aplicar também à lógica do que vou descrever agora.

Durante minha carreira já vi muitas tentativa de mudança cultural ou de criação de sinergia falharem porque os responsáveis por gerenciar o processo –quase sempre o RH – gastavam muito tempo e energia promovendo treinamentos, palestras, reuniões, encontros ou seja lá o que for, tentando atingir TODOS os colaboradores da empresa ou do projeto. Não é uma forma inteligente de promover a mudança.

A forma mais eficaz é a seguinte: Identifique os líderes, os influenciadores, e trabalhe o comportamento deles. Se eles comprarem a visão, acreditarem na ideia e derem o exemplo, o resto seguirá.

Quando eu falo de líderes aqui não me refiro a cargos. Já vi muitas equipes em que o coordenador, gerente ou mesmo diretor tinham muito menos influência do que pessoas com cargos muito mais baixos.

O influenciador é aquele que geralmente organiza as conversas, intermedia situações, orienta os colegas. Ele está sempre em evidência, costuma se manifestar mais do que os outros e é bem comum que se expresse verbalmente de maneira mais clara que seus colegas. É neste indivíduo que você deve se concentrar.

Minhas observações – não científicas- me levaram a concluir que num grupo de 100 pessoas, aproximadamente 20 tem maior poder de influência. Trabalhe com estes 20 e eles se encarregarão, através de seu magnetismo natural, de provocar a mudança nos outros. Olha o Pareto aí.

Se não pode vencê-los, junte-se a eles

Outro bom motivo para identificar os influenciadores e acompanha-los de perto, é que se você não usar a força deles a seu favor ela pode se virar contra você.

Um empregado insatisfeito que não tenha muito poder de liderança é um problema, mas não chega a causar danos gigantescos. Agora, um influenciador insatisfeito pode mudar os rumos da história de qualquer projeto. (O Lula que o diga)

Influenciadores costumam ser inteligentes, espertos e sagazes, e se eles começarem a ficar descontentes vão espalhar esta visão negativa em questão de horas. Aí você começará a ver as pequenas manifestações de insatisfação que em determinados projetos pode levar até mesmo a uma paralisação das atividades.

Estes influenciadores tem que ser acompanhados de perto. Você vai gastar muito menos tempo e energia fazendo isso do que se quiser trabalhar com a equipe toda, e terá resultados muito mais eficazes

Quando você ganha a colaboração dos influenciadores eles passam a trabalhar como evangelistas da sua mensagem. Pelo fato de serem queridos pelo grupo, a mensagem deles tem muito mais valor do que aquele comunicado lindo feito pelo CEO.

Ações maiores com o objetivo de enviar mensagens gerais tem seu lugar, dão o tom daquilo que se espera de todos, mas não são fortes o suficiente para mudar comportamentos.

Observe seus colaboradores, identifique quem cria as tendências, acompanhe estas pessoa de perto e veja a cultura aos poucos se moldar ao comportamento deles. É muito mais simples e barato do que você imagina.

Fonte: Stakeholder News

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: